Abrafarma 30 anos Logo
Abrafarma 30 anos Logo
Adesão ao tratamento
A baixa adesão das pessoas aos tratamentos prescritos pode causar prejuízos graves e é considerada um desafio de saúde pública.
Cassyano Correr

Publicado por:Cassyano Correr04 de maio de 2021

Tratamentos mais completos, com a ajuda da farmácia

Adesão ao tratamento refere-se ao cumprimento do tratamento prescrito e o uso correto dos medicamentos. Trata-se do quanto o paciente compreende, concorda e participa do seu tratamento. A baixa adesão das pessoas aos tratamentos prescritos pode causar prejuízos graves e é considerada um desafio de saúde pública.

  • Cerca de 4 a cada 10 pessoas afirmam já ter deixado de usar medicamentos prescritos.
  • Os motivos de abandono estão associados, principalmente, a percepção de que o medicamento era muito forte, as reações, a falta de confiança e a crença de que já estava curado.

Em pessoas com mais de 40 anos, usando medicamentos contínuos, a taxa de não adesão completa aos medicamentos é de 63%. Em pessoas que precisam tomar mais que 5 medicamentos ao dia, esse número é ainda maior, chegando a 82%. Na média global, estudos indicam que a adesão dos pacientes aos medicamentos é de apenas 50% daquilo que foi prescrito, principalmente a partir de seis meses de tratamento.

Por que isso é importante?

A baixa adesão compromete o controle das doenças e facilita o aparecimento de diversas complicações de saúde. Além disso, geram desperdício de recursos e contribuem para altos gastos em saúde. Por outro lado, o uso correto dos medicamentos é capaz de evitar o surgimento de muitos problemas.

Diversos serviços prestados na farmácia podem auxiliar os pacientes a cumprirem de forma completa seus tratamentos, entre eles o acompanhamento de condições crônicas, como hipertensão, diabetes ou colesterol alto, a organização dos medicamentos, a dispensação programada de medicamentos, entre outros. Realizar o “acompanhamento farmacoterapêutico” é uma das obrigações do farmacêutico estabelecidas pela Lei 13.021/2014.

  • A Abrafarma promove a prestação de serviços para melhorar a adesão e o acompanhamento a pacientes crônicos, promovendo uma melhor gestão dessas condições e mais resultados de saúde para as pessoas.
  • É na farmácia que se vira o jogo contra a não adesão aos medicamentos. A farmácia desempenha um papel decisivo nessa questão e o farmacêutico é um dos profissionais da saúde com maior proximidade e contato com os pacientes.
  • Promover mais adesão aos medicamentos interessa a todos: médicos, farmácias, indústria e, principalmente, a população. Mais adesão significa mais saúde, mais qualidade de vida e menos gastos em saúde.

Referências

Conselho Federal de Farmácia. Uso de medicamentos. Instituto Datafolha. Abril/2019.

Ministério da Saúde. Caderno 4. Resultados do projeto de implantação do cuidado farmacêutico no Município de Curitiba. Brasília: Ministério da Saúde, 2015. 100p.

Remondi, FA; Cabrera, MAS; Souza, RKT. Não adesão ao tratamento medicamentoso contínuo: prevalência e determinantes em adultos de 40 anos e mais. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 30, n. 1, p. 126-136, Jan. 2014.